PROPOSTA PARA UMA SEMANA DE TRABALHO DE 4 DIAS: um artigo de Rui Martins.

por Rui Martins (Este texto representa apenas o ponto de vista do autor, não da PASC, nem das associações que a compõem).

Rui_MartinsNos EUA, começam a multiplicar-se os exemplos de empresas que estão a mudar a sua semana de trabalho para apenas quatro dias úteis. E não se tratam de semanas de quatro dias e quarenta horas de trabalho, mas de semanas de 32 horas, ou seja, optando de forma consciente e voluntária para menos (e não mais) horas de trabalho.

A maioria optou por deixar de trabalhar à sexta-feira, mas algumas deixam ao critério do trabalhador a escolha do dia de semana mais conveniente.

A vantagem mais notória que estes empresários experimentam com a adoção de semanas de quatro dias é a melhoria significativa da qualidade do trabalho produzido: com menos tempo para trabalhar, há uma inclinação natural para desperdiçar menos tempo e o foco naquilo que é mais importante torna-se decisivo. A constatação é de que menos tempo, produz mais qualidade.

Mais tempo livre implica melhor qualidade de vida, menos absentismo (com a possibilidade de usar um dia na semana para tratar de assuntos pessoais), mais atividade e negócio para as atividades comerciais da comunidade onde se inserem estas empresas, menos custos operacionais, mais satisfação pessoal, realização humana e familiar e, decorrentemente, mais produtividade, menos desperdício e mais lucros para as empresas que adotam as semanas de quatro dias.

One thought on “PROPOSTA PARA UMA SEMANA DE TRABALHO DE 4 DIAS: um artigo de Rui Martins.

  1. Mesmo que sejam 40 horas a produtividade pode aumentar, pois há menos paragens. Numa semana de 5 dias o trabalhador “inicia” o trabalho de manhã e depois de almoço, o que totaliza 10 inicios e 10 paragens por semana. Numa semana de 4 dias passa a 8 paragens e 8 inicios. Está provado que por cada paragem demora-se em média 15 minutos a recuperar o ritmo anterior à paragem, o que torna a semana de 4 dias mais eficiente.

    Por outro lado diminui a despesa da familia. É menos 2 deslocações casa/trabalho, e menos 1 almoço. Num ano de trabalho de 48 semanas faz menos 96 deslocações e menos 48 almoços. Se cada deslocação custar em média 2,50 Euros, corresponde a uma poupança de 240 Euros. Se cada almoço custar 7 Euros, são menos 336 Euros que gasta (embora possa o gastar a almoçar em casa). Em termos globais pode significar uma poupança de 500 Euros.

    Gostar

Deixe uma Resposta para Carlos Leite Sousa Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s